O país pequeno e charmoso da Europa leva turistas de várias partes do mundo.

O país segue em sua rotina bem organizada e eficiente e, ainda, não é muito popular entre os brasileiros, mas tem um potencial turístico gigante.

O país está dividido em duas regiões: Flanders (língua holandesa) ao norte e Wallonia (língua francesa) ao sul.  A Bélgica é, praticamente, dividida em três países diferentes, ao norte, ficam os destinos mais famosos. É em Flandres que fica Bruges, a Veneza do Norte, com seus canais, suas praças medievais, a Igreja do Sangue Sagrado e museus belíssimos como o Groeninge.

Na Wallonia, a beleza medieval de Namur e as águas de Spa são as principais atrações. Mas é a capital Bruxelas que guarda o melhor dos dois lados, isso por que é lá que fica uma das praças mais deslumbrantes da Europa, a Grand Place, e dois pontos turísticos que definem a excentricidade da capital belga: o Atomium e o Manneken Pis, a estátua do garotinho que faz xixi.

O país também é conhecido pela qualidade de seus quadrinhos, tendo o personagem Tintin, de Hergé, como seu maior símbolo. O chocolate e a cerveja também são marcas registradas da Bélgica, que produz os melhores do mundo.

Não há voos diretos entre o Brasil e a Bélgica. No entanto, as companhias KLM, Alitalia, British Airways, Air France, Iberia, TAP e Lufthansa oferecem voos para o país. Uma alternativa para quem já está na Europa são as ferrovias Eurostar e as linhas holandesas da NS.

A infraestrutura da Bélgica funciona com excelência, conta com rede de ônibus completa que liga os trens as principais cidades turísticas.  Mas viajar de trem é mais fácil por conta das frequências de saída e os serviços são mais rápidos.