Quito Turismo dá boas-vindas ao primeiro hotel com design de estilo urbano, no Centro Histórico: o Hotel Carlota, recentemente inaugurado, localizado em uma mansão do século XIX totalmente renovada, próxima aos principais monumentos e edifícios turísticos.

Ela dispõe de 12 quartos, que incluem suítes, lofts, quartos duplos e triplos, cada um exclusivamente decorado de maneira exclusiva com estilo inovador para oferecer ao viajante uma experiência única e agradável.

O ambiente do Carlota se complementa com uma sofisticada proposta gastronômica, composta por frescos e deliciosos pratos locais criados pelos chefs Juan Francisco Hidalgo e Felipe Moscoso. Além disso, o terraço oferece um lounge com uma vista privilegiada do Centro Histórico e uma atmosfera descontraída para desfrutar de deliciosos aperitivos e bebidas.

Em sintonia com Quito, cidade que figura entre uma das mais sustentáveis do mundo, a habitação mantém elevados padrões ambientais para garantir o mínimo impacto sobre o meio ambiente. Essa prática fará com que o Hotel Carlota seja o primeiro no país com a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design).

O nome Carlota faz referência a interessante história da propriedade. Adquirida em 1966 pela dona Carlota Echeverría, a casa foi o lar dela até o início desse século, quando decidiu doá-la para a filha mais velha, Ximena. Em 2010, Renato Solines, filho de Ximena, iniciou o sonho de torná-lo um hotel com a esposa, a arquiteta Verónica Reed, trabalhando arduamente na restauração, dando vida a esse conceito.

O hotel Carlota é outra razão para consolidar Quito como o principal destino turístico da América Latina, que se distingue pelo terceiro ano consecutivo pelo World Travel Awards.

Atração do Mês: La Floresta, artesanato e atividades alternativas

A história conta que La Floresta obteve seu nome durante a época colonial porque era um lugar cheio de flores. Atualmente, o bairro boêmio se entrelaça com as residências, universidades, hotéis, pequenos comércios e parques, ao leste da zona turística de La Mariscal, no centro norte da cidade quitenha.

Cineastas, pintores, atores, poetas, artistas e criadores vivem nesta zona que preserva casas patrimoniais com mais de 80 anos de idade, cercado por videiras e árvores formosas. Aqui, a arte independente brilha no centro cultural “Ocho y Medio”, dedicado a produção e apresentação de filmes e peças teatrais. Muitos hotéis tem elegido este bairro como a área deles, bem como galerias e oficinas de artesanato.

Se alguém está passando pela La Floresta, talvez tenha oportunidade de assistir a um concerto ou espetáculo esportivo no Coliseu General Rumiñahui, o complexo onde se apresentam os eventos mais importantes de Quito.

A gastronomia é uma das principais características dessa área, onde há uma grande variedade de restaurantes de comida nacional e internacional. Entre aqueles que se destacam, estão o URKO com um jardim urbano, que apresenta uma proposta de cozinha equatoriana. Além disso, Misquilla é um dos lugares que dão vida a noite quitenha, exaltando a música nacional.

Vários cafés do tipo orgânico oferecem o melhor desta bebida a seus clientes. Além disso, há um pátio de foodtrucks que permite descobrir uma diversidade de sabores.

Toda quinta-feira, tanto os chefs mais sofisticados como o público em geral comparecem ao Mercado do bairro La Floresta, um espaço agroecológico onde as famílias produtoras vendem pães, frutas, grãos, compotas caseiras, variedades de pimenta e artesanato.

No bairro, o tradicional convive com o moderno, por isso, durante as tardes, a cor e aroma dos sabores quitenhos inundam La Floresta e convidam todos a dar um passeio pelo Plaza de La Vicentina, onde ocorre uma feira de comidas típicas para o deleite dos sentidos e alma.

Mais informações: http://descubraquito.com.br