O parapente (paraglider, em inglês) é semelhante a um paraquedas, pois também tem uma estrutura flexível e o utilizador está suspenso.

O voo de parapente é uma modalidade de voo livre que pode ser praticado tanto para recreação quanto para competição, sendo considerado um esporte radical.

Enquanto o paraquedista se limita passivamente a diminuir os riscos de uma aterragem violenta, o parapentista tem um voo dinâmico, onde o piloto pode controlar a sua direção e, em circunstâncias favoráveis de correntes de ar ascendentes, a sua descida, podendo manter-se a voar por períodos longos.

A história do parapente começa em 1965 com a velasa (sailwing em inglês) criada por Dave Barish que chamou de slope soaring (voo de talude) a prática de salto com esta vela. Paralelamente, Domina Jalbert inventa um paraquedas cujo velame é composto por células, para gerar o efeito asa de avião. Este paraquedas com dorso e intradorso, separados pelas células, foi o ancestral dos atuais paraquedas, parapentes e kites (as velas do kitesurf).

O parapente foi criado no Parachute Club d’Annemasse (França), em 1978 para servir de treino aos paraquedistas na precisão na aterrissagem sem necessitarem de utilizar um avião. Em 1980, foi criado o primeiro estágio de vol de pente (voo de encosta) e três anos mais tarde o nome mudou para parapente. Em 1985, é reconhecido como desporto pela “Fédération Française de Vol à Voile”.[1]

A Escola de Parapente e Paramotor Dinâmica do Ar, oferece o voo em São Vicente e é referência na prática do esporte. Ela está em operação desde 2003 na Baixada Santista e seu diretor-Presidente é o piloto e instrutor Reginaldo Amaral “Baratta” – que iniciou no esporte em 1997 no CVLLP (Clube de Vôo Livre do Litoral Paulista) e em pouco tempo já estava viajando por todo o Brasil em busca de novas técnicas de pilotagem e ensino.

Em 1998 viajou para o berço do voo livre mundial, passando por vários países da Europa para aperfeiçoar ainda mais seus conhecimentos técnicos. Retornou ao Brasil em 1999, começou a participar de campeonatos em âmbito regional, estadual e nacional, em obteve bons resultados no Circuito Brasileiro de Parapente no ano de 2000.

Mais informações clique aqui.

Foto: divulgação